FOTOSSÍNTESE NA FASE ESCURA

O artigo a seguir é a continuação da “Fotossíntese e a fase luminosa”. Como apontamos neste artigo, o processo de fotossíntese foi dividido em três fases principais: fase de luz, fase escura e fotorrespiração.

No primeiro artigo, analisamos o processo de fotossíntese de uma maneira geral, e depois sintetizamos os processos que ocorrem na fase de luz. Nesta ocasião, estamos nos preparando para fazer um resumo conciso sobre a segunda fase: a fase escura.

1. A fase escura

A fase escura, também conhecida como biossintética ou assimilatória, é a segunda fase do processo de fotossíntese. Nesse estágio há um aglomerado de reações que não precisam de luz solar e que convertem dióxido de carbono, entre outros compostos, em açúcares. Se notar que, embora a fase escura nas plantas de maconha e nas outras, não precise da luz solar diretamente, se é indiretamente regulada por ela. Isso ocorre porque algumas enzimas envolvidas no processo de assimilação do carbono dependem da luz solar.

Fotossíntese fase escura

Fotossíntese fase escura

De um modo esquemático, as plantas absorvem CO2 do ar através do estroma das folhas. Então, dentro do estroma do cloroplasto, o carbono é ciclicamente reduzido, um processo conhecido como o Ciclo de Calvin. Para produzir estas reações, as plantas obtêm os produtos da fase de luz, ATP e NADPH.

A fase escura é dividida em dois: a fixação de carbono e o ciclo de Calvin.

2. Fixação de carbono

Este é o primeiro estágio da fase escura, quando o carbono é fixo. Nesta fase, o carbono que vem do CO2 na atmosfera é fixado dentro de um carboidrato. Para isso existem três variações: fixação de carbono C3, fixação de carbono C4 e CAM. Em seguida, analisamos cada um deles.

-Fixação de carbono C3: CO2 é fixado diretamente no ciclo de Calvin sem fixações anteriores. A explicação científica explica que a enzima RuBiCO catalisa a reação entre a ribulose-1, 5-bisfosfato e CO2, criando assim uma molécula de seis carbonos que se separa em duas moléculas de fosfoglicerato com três átomos de carbono.

-Fixação de carbono C4: Antes de entrar no CO2 no ciclo de Calvin, ele reage com o fosfoenolpiruvato e produz o oxaloacetato, que mais tarde se tornará malato, uma molécula de 4 carbonos. Em seguida, o malato é transportado para as células e descarboxilado para produzir o CO2 que é necessário no ciclo de Calvin.

Fotossíntese escura

Fotossíntese escura

-Fixação de carbono em plantas CAM: Nesta ocasião, o processo é semelhante ao C4, mas ocorre nas crassuláceas. Plantas desse tipo fecham seus estômatos durante o dia e não podem absorver CO2. Portanto, para realizar a fotossíntese, eles absorvem CO2 à noite, transformando em malato e fornecendo durante o dia para que a planta possa realizar o ciclo de Calvin.

3. Ciclo de Calvin

O ciclo de Calvin é o que é chamado o processo pelo qual as plantas incorporam dióxido de carbono em ribulose 1, 5-bisfosfato. Isso se traduz em uma molécula líquida de glicose que irá cumprir a função de fonte de carbono e fornecerá à planta a energia necessária para realizar os processos vitais necessários. A energia é então armazenada em moléculas orgânicas do tipo glicose. Todas essas reações não têm dependência direta da radiação solar.

ciclo calvin

ciclo calvin

No próximo artigo sobre a fotossíntese, analisaremos a última fase, a fase de fotorrespiração. Esperamos que o artigo tenha resultado em suas dúvidas. Caso contrário, não hesite em deixar seu comentário e tentaremos esclarecer qualquer problema o mais rápido possível.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

EQT S.L.U. actúa como se responsable de los datos que se recabaran en el presente blog. La finalidad es mostrar su comentario en el post, cuya base jurídica es su consentimiento expreso del articulo 6.1.a. RGPD. Se pueden ejercer en cualquier momento los derechos de acceso, supresión, limitación, portabilidad de datos u oposición dirigiéndose a la dirección postal: al correo electrónico: info@geaseeds.com. Con el checkbox Das tu consentimiento para el recabado de los datos volcados aquí, admitiendo que los mismos son verídicos, exactos y fiables, aceptando haber leído la política de privacidad.